Oftalmologia em Notícias

Comunicado CBO sobre embargo ADPF 131

O Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu, em julgamento de recurso da Procuradoria Geral da República (PGR), pela modificação dos efeitos acordados IMPROCEDENTES da ADPF 131, nos seguintes e exatos termos:

 

  1. decidir quanto à manifestação expressa de negativa ao pedido da PGR de destaque (vistas do processo) para julgamento presencial da mencionada ADPF;
  2. integrar à decisão da ADPF, promovendo a modificação dos efeitos subjetivos da anterior decisão (junho de 2020) de recepção dos Decretos nº 20.931/32 e nº 24.492 /34 à quanto à atuação profissional de optometristas com diploma de nível superior;
  3. firmar e enunciar expressamente que as vedações veiculadas naquelas normas não se aplicam aos profissionais qualificados por instituição de ensino superior regularmente instituída mediante autorização do Estado e por ele reconhecida.

 

Portanto, houve a suspensão de proibições contidas nos decretos analisados em relação aos optometristas de nível superior, porém as óticas continuam proibidas de aceitar prescrições de lentes corretivas assinadas por não-médicos. Ou seja, as vendas casadas permanecem vedadas e a confecção de lentes de grau somente pode ser realizada com receita médica.

 

A alteração que ocorre com esta decisão, contra a qual recorreremos, é que o optometrista com diploma de nível superior poderá atender a população para realizar atos referentes a confecção de lentes de grau, pois é a única previsão legal existente.

O diagnóstico nosológico permanece como ato exclusivo do médico, nos termos da Lei do Ato Médico (12.842/13). Assim, essa referida norma, que está vigente e não foi objeto de análise do STF, prevê de forma expressa as atribuições dos profissionais médicos.

Diante deste quadro, a atuação do CBO na proposição de denúncias de exercício ilegal da medicina será fortificada e intensificada, nos termos do que foi decidido pelo STF.

Assim, o Conselho Brasileiro de Oftalmologia assegura que o tema da ADPF 131 está longe de ser finalizado. Medidas judiciais e extrajudiciais serão tomadas para que a saúde da população seja resguardada, evitando prejuízos e insegurança para toda a sociedade.

 

  

São Paulo, 26 de outubro de 2021.

 

CONSELHO BRASILEIRO DE OFTALMOLOGIA


Deixe um comentário

Compartilhar artigo nas redes sociais

Outras publicações

Oftalmologia cobra respeito das operadoras de planos de saúde no atendimento oferecido à população Oftalmologia em Notícias

Oftalmologia cobra respeito das operadoras de planos de saúde no atendimento oferecido à população

Cirurgia de Troca de Cristalino com Finalidade Refrativa (TCR) é aprovada pelo CFM Oftalmologia em Notícias

Cirurgia de Troca de Cristalino com Finalidade Refrativa (TCR) é aprovada pelo CFM

Reestreia CBO Live 2022- Tumores Intraoculares Oftalmologia em Notícias

Reestreia CBO Live 2022- Tumores Intraoculares

Você precisa estar logado para acessar essa página

FALE COM O CBO